Parada na rua ou melhor... na tua

Certo dia estava eu parada na rua, observando as pessoas que caminhavam. Sempre tenho o pensamento de que as pessoas costumam deixar um pouco aberto o modo como são e agem, quando estão desprevenidas e distraídas, como no caso dessas agora.
Comecei a tentar observá-las com mais zelo e comecei a notar cada ponto delas, como mastigam um simples chiclete, como andam, ou até mesmo como se expressam quando falam com alguém ao telefone. Foi quando, para minha surpresa, você surgiu. Não querendo aumentar seu ego, mas posso ser sincera que esqueci de todas as outras pessoas que estavam passando. Engraçado seu modo de andar, como você mexe no seu cabelo, como sorri olhando um simples pássaro, como solta uma gargalhada ao ler alguma mensagem... Quem dera eu poder te acompanhar ao andar, quem dera eu poder passar as mãos pelos seus cabelos, quem dera eu poder te fazer sorrir, e quem dera eu poder gargalhar contigo.
Pois bem, certo dia estava eu parada me vendo tão na tua.


CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top