Querido Espírito Santo...

Eu não sei se vocês sabem, mas eu sou órfã de pai... Há quase sete anos meu pai faleceu num triste acidente de ônibus (um motorista de um ônibus passou por cima dele), ele faleceu muito jovem, com apenas 34 anos, e minha irmã, mamãe e eu éramos muito mais jovens (Letty 6, eu 11 e mamãe 31 anos), e isso mexeu muito com a gente, mas quando falo muito é mesmo muito, afinal mamãe viu todo o acidente, por conta dele ter sido em frente a minha casa e eu também tive a desonra de também ver parte do acidente.
Mas o que quero falar aqui não é nada sobre o acidente em si, posso falar algum dia “O ponto de vista de uma menina de 11 anos que presenciou o atropelamento do pai por um ônibus”, mas nesse momento não é disso que vou falar, o que tenho a dizer é como Deus fala conosco e nos tranquiliza mesmo em momentos de dor.
Quando papai morreu tiveram várias noites que dormíamos no mesmo quarto, mamãe, Letty, Patty (Essa é minha prima que foi o maior amorzinho, passou quase 4 meses morando com a gente para que não nos sentíssemos sós, sem contar que ela ia para a escola comigo e minha irmã e depois passava quase o dia todo com a gente) e eu.
Então, uma das coisas que marcou bastante esses primeiros meses foi um hino “Espírito Santo”, da cantora Eyshila. Tem um versículo em Salmos 34. 1-3 que diz o seguinte “Bendirei o Senhor o tempo todo! Os meus lábios sempre o louvarão. Minha alma se gloriará no Senhor; ouçam os oprimidos e se alegrem. Proclamem a grandeza do Senhor comigo; juntos exaltemos o seu nome.” Lendo esse versículo a gente percebe que deve louvar ao Senhor, não importa o momento, e bem, era exatamente isso que a gente fazia.
Esse hino era como uma oração, quando o ouvíamos sentíamos que o Espírito Santo vinha ao nosso encontro e acalmava nosso coração e nos trazia esperança de paz e alegria em dias futuros, muitas vezes a gente cantava esse hino chorando, isso quando conseguíamos cantar, às vezes só fechávamos os olhos e ficávamos escutando o hino até o sono chegar e, quando amanhecia, tínhamos a certeza de que o Espírito Santo tinha nos dado toda a força que precisávamos para seguir em frente em mais um dia, lembrando também de outro versículo “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã” (Salmos 30. 5b).
Hoje eu posso dizer que perder alguém que amamos não é nada fácil, mas se tivermos Deus em nossa vida e o Espírito Santo como nosso consolador, nós teremos dias de alegria.
A saudade é um sentimento que não passa (não quando é alguém que morre), mas ela pode ser amenizada, e você consegue lembrar-se daquela pessoa que você tanto amou não mais com tristeza, ou até mesmo desespero, dúvidas e medo do futuro que te espera sem a pessoa, mas consegue lembrar-se das coisas boas vividas, e com isso você pensa a todo instante que deve aproveitar os momentos que pode com aqueles que estão a sua volta, sempre agradecendo a Deus por cada dia, porque eles são oportunidades de dizer às pessoas que você ama o quanto elas são importantes para você.
Eu aprendi isso, posso dizer até que fiquei um pouco paranoica quanto a isso, por exemplo, não importa aonde eu vá, eu sempre peço benção e dou um beijo em minha mãe, isso porque no dia que papai faleceu eu não dei um beijo nele, então eu meio que fico com medo de acontecer isso com mamãe então sempre que posso a beijo. Sem contar também que sou meio grudenta com todas as pessoas que eu amo, às vezes acabo as irritando, mas bem, se sou grudenta com você é porque te amo e é isso que importa.

Então é isso, agora vocês sabem porque nunca falei do papai e sabem o quanto precisamo de Deus a todo instante, como não imagino mais minha vida sem ele e como podem existir pessoas que não acreditam em Deus e que duvidam do Seu poder.
Mas bem, beijinhos e fiquem com Papai do Céu!

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top