Morando em Portugal - O início

Olá, pessoas! Como vocês estão?
Eu estou bem, com uns projetos bem loucos que pretendo colocar em prática pelos próximos dias, ansiosa para saber o que irão achar e pronta para abrir meu coração (mais do que já abro) para vocês!

Quando fico muito tempo sem escrever começo a sentir um pequeno peso na consciência, começo a refletir se perdi o jeito para isso ou o que pode estar acontecendo. Acredito que de alguma forma pequenos bloqueios surgem e eu acabo precisando de uma pequena ajuda para conseguir seguir escrevendo. E foi por isso que pedi uma pequena ajuda na fanpage do blog, para ter uma pequena ideia do que vocês gostariam de ler.

Dentre as sugestões estava o seguinte pedido: escrever sobre a adaptação num novo país, sobre os desafios em estar longe das pessoas que amo e sobre como é a vida aqui.

Sinceramente? AMEI a sugestão, porque queria escrever sobre isso há um tempo.

Então, como me foi sugerido e pedido, se preparem que terão, daqui pra frente, algumas coisinhas sobre essa pessoa topzera que está tendo que se aventurar por Portugal.

Essa foi uma das primeiras fotos de "nada em especial" que tirei aqui em Portugal

Esse mês faz 1 ano que estou morando em Portugal, sendo mais específica hoje (dia 06/02). Vocês tem noção do que é isso? Digo, o tanto que o tempo passou, o tanto de coisa que aconteceu e do quanto os meses CORRERAM?

Tem dias que eu vivo lindamente o presente, enquanto tem outros que eu acabo pensando "o que eu estava fazendo há um ano?"

Nessa semana, quando pensei nisso, lembrei que há 1 ano e alguns meses estava na casa da minha tia, passei uns dias em São Paulo (para ser demitida), passava alguns momentos escrevendo no meu caderno verde com linhas azuis, ficava planejando um amor para a vida toda e pensando em como seria a vida num país em que nunca tinha pisado e que só tinha informações pela minha mãe.

Confesso que, entre todos meus possíveis pensamentos e sentimentos, o fato de ter que lidar com a saudade foi e continua sendo um dos pontos mais complicados para mim, porque sempre fui muito ligada às pessoas. Mudar de casa, país, cultura e vida, não foi tão complicado quanto pensar: Só verei certa pessoa quando Deus permitir e me der condições de ir vê-la, caso contrário, nunca mais a verei...

Mas bem, vamos que vamos, pois vou contar o porquê e como tudo isso aconteceu e se desenrolou (e está se desenrolando).

Fiquem bem e com Papai do Céu, beijinhos e até já!

Comentários

  1. Tento imaginar a sensação que teve e já me dá um frio na barriga!
    Aguardando o conto dos causos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que até eu sinto frio na barriga ainda (tá que pode ser fome também), mas a gente consegue ir em frente rumo às aventuras da vida!

      Excluir
  2. Eu preciso de mais! Continue, por favor ❤️ #ansiosa #escreveumlivro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode deixar que terá muito mais!
      Boatos de que meu caderninho tá quase cheio haha <3

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Morando em Portugal - Por que vim para cá?

Uma simples, mas não tão simples assim, eu