Minha busca por trabalho (parte 2)

Porém, como deve ser óbvio, nem tudo é 100% perfeito, né? Caso contrário não seria trabalho, seria emprego, e eu não seria uma imigrante num país em busca do meu documento. 

Depois que comecei a trabalhar eu queimei muito minhas mãos, afinal nunca tinha dedicado meu tempo a passar roupa. Sem querer já encostei o ferro na mão, basicamente, fui passar uma roupa e calculei mal a distância e ele passou por cima do meu dedo.

A máquina que usamos para embalar as roupas funciona ligada na tomada, para aquecer e assim a gente conseguir cortar o plástico, por conta disso tenho vários cortes/queimados na mão por conta da máquina ter batido em cima na hora que estava aquecendo e eu tinha que cortar a embalagem.

Como mexo com muita roupa, químicos, água e sujeira, minhas mãos parecem que desenvolveram uma certa alergia, ficam muito secas e, às vezes, enquanto estou passando roupa meus dedos começam a ressecar e dar pequenos rasgos que fazem eles sangrarem, então tenho que estar sempre passando creme.


E bem, fora essa parte do trabalho, ainda tem as grosserias que temos que aturar. 
Por vezes sigo como os pinguins de Madagascar: sorrindo e acenando.

Lembro que um dia uma senhora foi totalmente xenofóbica comigo. Eu a atendi e depois de TENTAR explicar que a roupa dela ainda não estava pronta, ela começou a ofender a mim e a minha nacionalidade. Fui obrigada a escutar coisas como "eu não sou preconceituosa, MAS vocês brasileiros vêm com esse nhênhênhê, esse sorrisinho... nós portugueses odiamos isso, é irritante!" (não se faz necessário escrever as demais coisas, tentei apagar isso da minha memória).

Na hora eu fiquei tão sem saber o que fazer que pedi desculpas e ela foi embora, porém, depois que ela foi embora e eu comecei a pensar com mais clareza, vi que tinha que ter parado de pedir desculpas e tinha que ter a corrigido, dizendo que ela não estava sendo apenas preconceituosa, como também estava sendo xenofóbica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Morando em Portugal - Por que vim para cá?

Morando em Portugal - O início

Criar expectativa é uma merda!